Confira as 5 situações nas quais vale a pena pegar um empréstimo

Sabe aquele ditado que diz que “a solução está onde menos se espera?”. Ele pode se encaixar como uma luva quando falamos sobre pegar um empréstimo: não é uma ideia que encaramos com muita disposição do início, mas pode ser a melhor solução para evitar que uma dívida cresça a ponto de se tornar impagável, uma situação infelizmente muito comum na vida de mais de 60 milhões de brasileiros que estão com contas atrasadas.

Quando feito de forma planejada, um empréstimo pode ajudar a resolver uma dívida mais complicada — dando lugar para outra mais flexível —  ou adquirir algum bem (seja ou não material) que pode melhorar a vida a curto ou médio prazo.

Nos próximos tópicos, apresentamos algumas situações nas quais ele pode ser uma solução bem-vinda. Continue a leitura e confira!

1. Para investir em educação

Cursos de especialização e idiomas (até mesmo um intercâmbio de curta duração) podem fazer a diferença em uma eventual contratação ou promoção e, dependendo do caso, o empréstimo se torna um investimento válido. Essa opção fica ainda melhor se for possível conseguir um bom desconto caso o valor total do curso seja pago à vista.

2. Quando se tem uma dívida com altas taxas de juros

Caso você acabe adquirindo um empréstimo com uma taxa de juros mais elevada, pode ser interessante procurar por outras opções com juros mais reduzidos, especialmente se houver a chance do pagamento virar uma bola de neve. Nesses casos, a melhor ideia é liquidar a dívida o quanto antes.

3. Realizar consertos na casa

Seja consertar uma telha, arrumar uma rachadura ou resolver outro problema sério da casa: pegar um empréstimo com o objetivo de melhorar a qualidade de vida de onde você mora é sempre uma ideia válida.

Mas, é importante separar os consertos necessários dos supérfluos (como decoração e novos móveis) e pesquisar o valor dos materiais e mão de obra para que o empréstimo cubra todos os gastos.

4. Para quitar uma dívida feita no cartão de crédito

Os juros cobrados pelos cartões quando se paga apenas o mínimo da fatura estão entre os mais altos do mercado e podem facilmente quadruplicar o valor de uma dívida. Pegar um empréstimo para saldar este montante pode se mostrar uma saída, especialmente quando a soma ultrapassar o salário mensal.

5. Em situações de emergência

Um acidente, cuidados médicos ou um conserto de última hora no carro são algumas das muitas situações imprevisíveis e que exigem gastos. Nestes momentos, — caso você não tenha um amigo ou parente a quem recorrer — considerar um empréstimo é uma boa solução.

Seja para os exemplos que elencamos ou para outros momentos nos quais você acredita que pegar um empréstimo seja a melhor solução, é sempre importante pesquisar as opções existentes no mercado e ter a certeza de que as parcelas caberão no seu bolso.

Gostou do nosso conteúdo? Então assine agora mesmo nossa newsletter e receba diretamente em seu e-mail dicas para melhorar sua relação com o dinheiro.

5 técnicas incríveis para reduzir os seus gastos domésticos já

Tem faltado dinheiro na hora de fechar as contas? Não sabe para onde seu salário está indo todo mês? Perdeu o rumo de quanto gasta ou ganha? Saiba que isso pode ser resolvido!

Mesmo em um cenário de crescente endividamento das famílias — chegando a 58,4% em setembro deste ano —, ainda sim, é possível ficar fora dessa estatística. Reduzir gastos domésticos é um grande passo para que isso aconteça.

Neste artigo, vamos mostrar como você pode mudar sua realidade financeira de forma simples e objetiva, com dicas básicas e que você talvez nem conheça. Vamos descobrir?

1. Consuma de forma consciente

Quando falamos de economia, não podemos nos esquecer de citar gastos com contas de luz, água, entre outros itens básicos.

Portanto, diminua o tempo no chuveiro, não deixe mais as luzes acesas sem necessidade, e aproveite para consertar aquele vazamento antigo — o que você gastar no conserto será compensado na redução das contas.

Além de ajudar a proteger o meio ambiente, você vai gerar uma economia que, no final das contas, fará diferença no seu bolso.

2. Evite usar sempre o cartão de crédito

Sabemos que é um conforto muito grande usar sempre nosso cartão para passar as compras do dia a dia. Mas, quando a fatura chega, você se sente bem com o valor a pagar? Bem provável que sua resposta seja não.

Por isso, é altamente aconselhável que você pague suas contas à vista, seja no dinheiro ou no débito. Deixe o crédito somente para compras eventuais, como passeios em família, ou emergências — afinal, sempre surge aquela conta de última hora para pagar, não é mesmo?

As compras a prazo geralmente sofrem com a incidência de juros, que podem aumentar ainda mais se você atrasar a fatura.  Ou seja, aquilo que você tanto queria ter, acaba saindo muito mais caro do que pensava, impedindo que você poupe dinheiro para fazer aquela viagem no fim do ano com a família.

3. Planeje suas compras

Muitos gastos domésticos estão atrelados ao consumo de itens desnecessários, que geralmente aparecem quando não planejamos a nossa rotina.

Por exemplo: quando não nos programamos e saímos de casa sem comer, deixando aquela refeição para depois. É muito provável que assim você gaste se alimentando na rua, em vez de comer o que já tem na despensa.

O interessante mesmo é se organizar para adquirir somente o necessário, sem correr esse tipo de risco.

4. Troque seu plano de TV a cabo ou Celular

Muitas vezes não temos tempo de ver ou usar tudo aquilo que pagamos e contratamos. Isso gera um gasto totalmente dispensável, comprometendo o orçamento no final do mês.

Mas isso não significa que você tenha que cancelar o seu plano de celular ou aqueles canais de TV por assinatura que tanto gosta. Talvez seja hora apenas de reduzir os canais ou trocar de plano. Depois de algum tempo, você vai perceber que estavam dando mais prejuízo do que benefícios.

5. Livre-se das coisas que não usa mais

Temos a grande mania de comprar objetos que em pouco tempo perdem o uso ou deixam de nos interessar. Eles acabam ficando parados em algum canto, ocupando espaço na casa, e podem até gerar gastos inconvenientes.

Então, por que não vender esses itens? Você pode fazer uma grana extra e diminuir entulhos dentro de casa. Poderá, assim, ter um aumento na renda e deixar o seu lar mais organizado.

Economizar é preciso e não é vergonha para ninguém. Não podemos mais nos dar ao luxo de gastar sem pensar. O mundo mudou, e nós também precisamos mudar.

E aí, gostou de aprender um pouco sobre como evitar gastos domésticos? Quer saber mais sobre o assunto? Então, não deixe de assinar nossa newsletter e receber conteúdos inovadores direto no seu e-mail!

Contas a pagar e receber: como não errar na hora de organizar?

Sabia que sem um planejamento correto das contas a pagar e receber, a chance de se perder em meio a elas pode aumentar de forma substancial? Quando isso acontece, a consequência direta, e mais recorrente, é deixar de pagar ou atrasá-las, e ninguém gosta disso, não é mesmo?

Já parou para pensar em quantos títulos de crédito ou ordens de pagamento (impostos, aluguéis, contas de casa, planos de saúde e mensalidades escolares), temos que pagar ao mesmo tempo? Isso nos deixa confusos e pode gerar uma baita dor de cabeça.

Parece algo de outro mundo, não? Mas não é! Com dicas simples, básicas e fáceis de aprender, vamos te deixar craque em pôr suas contas em dia. Confira!

Faça uma lista com todas as suas contas

Mantenha sempre uma planilha com todas as contas a pagar, desde as simples e irrisórias até as mais importantes. Descreva-as de forma que tenha um panorama geral do que está acontecendo e, como opção, sempre é bom ter um total do que tem a pagar e receber.

Escolha quais as mais importantes

Independente de qual sejam os valores, é recomendado buscar sempre quitar as dívidas mais essenciais ou para subsistência, como água, luz, condomínio, aluguel, escola dos filhos, supermercado, entre outras.

Feito isso, você observará se sobrará ou não o residual desse montante. É nessa hora que decidirá, de forma sábia, o que fazer com este dinheiro. Pode ser um ótimo momento para se pensar em como investir essa quantia em algo para seu futuro, de sua família ou, quem sabe, juntar uma grana para comprar aquele tão sonhado carro.

Tenha controle das dívidas

Quantas vezes na sua vida já bateu aquela tentação de comprar algo sem se importar ou lembrar daquelas dívidas que ainda haviam para quitar? Se sua resposta foi “inúmeras”, “muitas”, você não foi a primeira nem a última pessoa a passar por isso. Acredite ou não, mas um dos grandes motivos do endividamento é esse.

Portanto, a melhor maneira de sair dessa enrascada é justamente ter em mente quais são suas pendências, inclusive usando o método que citamos acima, para que fique claro na hora de tomar uma decisão premeditada e cometer o mesmo erro. O interessante, também, é fazer o máximo esforço para não ir a lugares que te façam ter esse tipo de desejo enquanto não quitar as dívidas.

Evite cartões de crédito

Usado em larga escala pelos brasileiros, tanto para compras com custos altos quanto para coisas supérfluas, também pode agir como um vilão das suas contas a pagar ou receber, principalmente quando usado para financiar suas dívidas, pois muitos caem na estratégia dos bancos de utilizar o crédito rotativo do cartão. Entenda, quando você aceita esse serviço, pagará as maiores taxas de juros por ter deixado de quitar na data certa.

Então, o que sugerimos é procurar pelo gerente de seu respectivo banco para que possa negociar da melhor forma possível esta dívida. Além de toda essa questão, é recomendado que diminua bastante o hábito de usá-lo enquanto suas contas ainda estiverem no vermelho.

Ter organização é algo que de fato exige dedicação e paciência, mas que trará benefícios que compensarão cada gota do seu suor pelo empenho em deixar suas contas a pagar e receber nos conformes para não ter mais dívidas.

Gostou de aprender dicas importantes para se ter um bom planejamento para suas contas? Então, siga nossas redes sociais e não perca mais os prazos! Estamos no Facebook e Instagram!

Promoções de final de ano: 4 truques essenciais para fugir de pegadinhas

O fim do ano está se aproximando e, nessa época, o comércio aposta em promoções e descontos que à primeira vista podem parecer imperdíveis. Mas é preciso ter muito cuidado para não cair na armadilha do consumo e se arrepender por ter levado um produto com um falso desconto.

Você sabe reconhecer as pegadinhas das promoções de final de ano? Daremos uma mãozinha, apresentando 4 truques essenciais para fugir das pegadinhas inimigas do seu bolso:

1. Compre o necessário e faça muitas pesquisas antes de decidir

Antes de partir para as compras, é importante que você saiba exatamente o que precisa comprar e o quanto de dinheiro pode gastar.

Você pode começar fazendo uma lista do gostaria de comprar e verificar a necessidade de cada produto. Risque da lista o que não for necessário e quando tiver a lista pronta, comece a pesquisar o preço de cada produto.

Use a internet para facilitar a pesquisa ou, se preferir, procure nas lojas físicas — mas sem perder o foco do que precisa ser comprado. Tendo em mente os preços dos produtos com antecedência, você correrá menos riscos de pagar mais caro pela compra.

2. Desconfie de descontos muito vantajosos nas promoções de final de ano

Quem nunca entrou correndo em uma loja depois de ver o anúncio na vitrine oferecendo 80% de desconto?

Porém quando a esmola é demais, o santo desconfia! Algumas lojas costumam aumentar o valor do produto antes das promoções de final de ano e acabam oferecendo um falso desconto.

Sendo assim, para evitar surpresas desagradáveis, não deixe suas compras para a última hora e fique de olho nos preços durante as semanas anteriores às promoções.

3. Preste muita atenção em ofertas combinadas

É muito comum encontrarmos promoções aparentemente irresistíveis como “pague 2 produtos e leve 3 do mesmo tipo” — mas elas também podem esconder uma pegadinha.

Por via das dúvidas, faça a conta do valor unitário do produto e compare. Adquira a combinação dos produtos somente se o preço valer a pena e se os produtos forem úteis para você.

Se não prestar atenção às suas prioridades, você pode ser atraído por produtos que parecem baratos, mas que podem acabar sendo ser supérfluos.

4. Evite compras enganosas pela internet 

Se resolver comprar algum produto nas promoções de final de ano pela internet, vá com prudência e verifique primeiramente se o site é confiável.

Dê preferência a sites de marcas conhecidas e leia sobre a reputação das empresas para não correr o risco de pagar e nunca receber seu produto.

Também é imprescindível fazer uma pesquisa do valor do produto anunciado na promoção e verificar se o valor do frete está compatível com a oferta. 

Mais importante do que fugir de pegadinhas de promoções de final de ano é saber se você terá dinheiro para pagar suas compras. Gaste com prudência, sem comprometer seu orçamento ou correr o risco de se endividar. 

Se você gostou desse artigo, curta nossa página no Facebook e siga nosso Instagram para conhecer mais dicas como essas!!